sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Higienismo - A ciência da Saúde / Higiene Natural / Natural Hygiene e o Dr. Herbert Shelton

O que é a Higiene Natural ?

   O movimento higienista teve seu início com o médico Isaac Jennings no início dos anos de 1800, nos Estados Unidos da América. Ele começou a aplicar apenas métodos naturais no tratamento de seus pacientes, isto é, dava ênfase a fatores de estilo de vida como dieta, exposição ao sol, exercícios físicos, sono, e desta forma eles se recuperavam em tempo recorde, comparado aos diversos outros tratamentos.
   Inicialmente não divulgou explicitamente suas ideias, utilizando-se de remédios placebos, junto com os outros hábitos de uma vida saudável. Sendo altamente reconhecido pelo seu sucesso, foi condecorado pela Faculdade de Yale e por seu sucesso inigualável. Quando em 1822 foi a público e explanou a sua abordagem, foi ridicularizado e visto como um charlatão pelos colegas de profissão e pelo público que não conseguiam conceber a ideia de “não interferir” ou aplicar apenas os métodos naturais e fisiologicamente inerentes ao organismo vivo (dieta, sol, exercício físico, ênfase em descanso e sono, etc.), ao invés da prática em voga e costumeira de tratamentos, pílulas etc.

Dr. Herbert Shelton

   Com o tempo diversos outros médicos se juntaram e propagaram as ideias de Jennings. O seu sistema foi nomeado Higiene (o nome Higiene é derivado da deusa grega da saúde Higéia) e durante os anos, os bravos e revolucionários higienistas simplesmente foram agrupando o conhecimento dos antigos aos avanços feitos na biologia e fisiologia nos últimos 2 séculos e colocando-os em prática. O resultado foi um sistema conhecido atualmente como a ciência da saúde, pois diferentemente dos outros modelos que estudam apenas a doença, a Higiene foca seus estudos na saúde, e foi finalmente nomeada pelo Dr. Herbert Shelton em meados de 1900 como Higiene Natural, para se diferenciar de outros modelos como a naturopatia, homeopatia, hidropatia, etc.
   Seus conceitos na época foram considerados muito radicais, e não há como melhor defini-la do que a máxima criada pelo Dr. Herbert Shelton: “A saúde por viver saudavelmente” ou “A saúde pode ser construída, mas não pode ser comprada”.
   Higienistas advogam que para termos saúde temos apenas que participar em suas causas diariamente. Ademais, higienistas propõem que a saúde é o estado natural de todos os organismos vivos, e que a saúde para ser mantida ou recuperada só necessita dos meios naturais fornecidos pela natureza.
   A Higiene Natural, busca uma abordagem científica, de observação das leis da natureza, ensina as pessoas a viver em harmonia com as leis imutáveis da natureza, está de acordo com as necessidades fisiológicas e biológicas dos seres humanos, baseia-se na premissa que a natureza é perfeita, e se o indivíduo fornecer os requerimentos básicos da natureza, a saúde é mantida/recuperada através da “vix medicatrix naturae”, a força curativa da natureza, a capacidade inerente de regeneração do corpo humano. Que o poder de “auto cura” é inerente em todos os organismos vivos, o que precisamos fazer apenas é fornecer as condições ideias para o mesmo prosperar
   Foi inspirada também nos ensinamentos do próprio Hipócrates, considerado pai da medicina moderna, que sugeria tais práticas há dois mil anos, embora atualmente as práticas sejam completamente antagônicas aos seus ensinamentos. Ele baseava suas teorias e tratamentos no empirismo, observação e práticas racionais e acreditava que as doenças têm apenas causas naturais em vez de super naturais, ou seja são relativas ao estilo de vida do indivíduo.
   Ensino, educação e uma vida conforme as leis da natureza são o caminho para a verdadeira saúde ao invés de poções, pílulas e “curas” milagrosas instantâneas. O caminho para a recuperação/manutenção da saúde e do bem estar sempre será através da vida saudável. Quando o entusiasta de saúde se educa nos princípios que regem a saúde humana, e aplica os de acordo com as leis fisiológicas e biológicas que regem todos os organismos vivos, ai sim ele começa a vivenciar o verdadeiro bem estar, saúde longa e vida próspera. Ao invés de acreditar e buscar por uma pílula mágica que supostamente pode “consertar” anos de abusos e maus hábitos.
   Se sentir “bem” ou não vivenciar sintomas/doenças graves, e ser realmente saudável (manter seu corpo em um estado de homeostase) não serão nunca o mesmo. Não conseguimos ter parâmetros sem nunca ter vivenciado saúde verdadeira. Vivenciamos saúde e bem estar na proporção exata em que vivemos saudavelmente dentro das leis regidas pela natureza. A Higiene Natural defende que a saúde é o estado natural do organismo vivo. Ou seja, "Sublata Causa Tollitur Effectus - remova as causas e os sintomas vão embora". A saúde precisa ser criada diariamente através dos bons hábitos.
   “Todas as estruturas vivas, por mais variadas que sejam, têm um principal propósito, isto é, o de preservar internamente as condições normais da vida. Sensações e instintos tem como propósito básico a mesma produção e preservação da condição interna normal. As sensações são o educador e protetor do homem. Negar a importância dos sentidos é privar-se de um dos maiores meios de auto-proteção e quase único meio de aprendizado do indivíduo. Sem os cinco sentidos, a mente não se desenvolve. Dor e desconforto chamam nossa atenção para coisas e circunstâncias prejudiciais ao nosso bem-estar. Negligenciar a dor, suprimi-la, é privar a si mesmo de um seus mais úteis meios de auto-proteção.” Dr. Herbert Shelton em seu livro “Natural Hygiene – The pristine way of life”