terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Toxinas do cozimento, SOP (Sindrome do ovário policístico) e Endometriose


Trecho do meu próximo livro "O veganismo para mães, pais e bebês". 

Toxinas do cozimento, SOP (Sindrome do ovário policístico) e Endometriose



Os chamados AGEs, subprodutos da glicação avançada, uma toxina formada geralmente pelo processo de cozimento mas que pode também ocorrer de forma endógena, é uma das toxinas resultantes do processo de cozimento mais estudada, principalmente pois na atualidade ela tem sido correlacionada com as principais doenças crônico degenerativas e por serem reconhecidas como um agente inflamatório e oxidativo.

SOP, ou mais conhecida como Síndrome do Ovário Policístico, a mais comum anormalidade endócrina em mulheres em fase reprodutiva através do mundo ocidental, é uma doença caracterizada pelos altos níveis de androgênios (hormônios masculinos) na mulher. E tida como incurável e correlacionada a obesidade, diabetes, sedentarismo. Talvez a principal causa de infertilidade, disfunção menstrual e hirsutismo (excesso de pelos no corpo). No entanto, pesquisas vem demonstrando que mulheres que sofrem desta doença, tem altos níveis séricos de AGEs, geralmente o dobro da quantidade, comparado a mulheres que não sofrem 342482482347242. E os níveis de AGEs se correlacionam a patogênese da doença, independente de outros fatores de risco como a obesidade. Mesmo em mulheres magras, níveis altos de AGEs séricos se correlacionam a doença. Os AGEs são encontrados dentro de ovários policísticos, assim como elevados níveis de RAGEs (Receptores para os subprodutos da reação de Maillard) 342482482347243, 342482482347244. Em apenas dois meses, em uma dieta pobre em AGEs, consideráveis mudanças benéficas em diferentes biomarcadores como sensibilidade insulínica, estresse oxidativo, níveis de hormônios mudam drasticamente, fazendo os pesquisadores sugerirem que mulheres com SOP teriam excelentes resultados em uma dieta pobre em AGES. Porque não uma dieta praticamente isenta de AGEs, já que é o cozimento que causa a formação destas glicotoxinas e principalmente produtos de origem animal contém quantidades imensamente maiores destas toxinas, porque não uma dieta vegetariana riquíssima em antioxidantes que é o que auxilia a redução dos níveis séricos e da formação destes compostos de forma endógena também? 342482482347245

E como nós higienistas gostamos de sugerir, o corpo é uma unidade. Todas as doenças modernas têm uma etiologia similar e andam lado a lado com as outras doenças. Não gostamos de separar as doenças pois todas advêm de um corpo toxêmico. E por incrível que pareça, não só a SOP, mas os AGES e os RAGEs tem sido correlacionados também a endometriose. Por estimularem estresse oxidativo, reação inflamatória, influenciar negativamente a apoptose, e angiogenese através de ativação de fatores vasculares de crescimento endotelial, estão sendo vistos como um fator importante na patogênese da doença.

A endometriose é uma patologia no qual o tecido do endométrio, a mucosa que reveste a parede interna do útero, começa a se desenvolver também em outras regiões do corpo. Células e tecidos endometriais migram no sentido oposto, desencadeando uma reação inflamatória e sangramento. É uma menstruação retrograda, em outras palavras, ao invés da menstruação descer ela sobe. Uma doença pouco estudada e que causa fortes dores, reduz consideravelmente a qualidade de vida da mulher, induzindo dispareunia (dor intensa no ato sexual), disúria (dor ao urina) e infertilidade. Dores durante a fase menstrual e não menstrual, causando dores lombares, intestinais, bexiga e até mesmo nas pernas. Além de dismenorreia (cólica menstrual), fadiga, cansaço, distúrbios de sono, bexiga, intestinais e distensão abdominal. O tratamento pode até consistir na remoção dos ovários e do útero. Sua causa é idiopática em muitas das vezes.

Como a endometriose é uma doença dependente de estrogênio, o consumo de soja, já foi correlacionado a redução da incidência da doença, devido as isoflavonas 43242847487284212. E agora sabemos que nos tecidos da endometriose, se acham aumentados níveis de receptores para os subprodutos da glicação avançada e níveis elevados de fatores de crescimento endoteliais 43242847487284211. Sabemos que a forma de reduzir os níveis de AGEs, é cortando o tabagismo, cortando principalmente os alimentos mais ricos em AGEs (proteína animal, alimentos extremamente cozidos ou fritos). Aumentando a ingestão de comida crua, pois não tem a formação destes compostos e alimentos ricos em antioxidantes (frutas e vegetais). Oleaginosas cruas, chegam a ter 30 vezes menos glicotoxinas que suas contrapartes torradas. Uma dieta pobre em AGEs, reduz os RAGEs e a inflamação significantemente. Quantas mulheres ficam sabendo que comida crua, frutas e vegetais, poderia ajudar a reduzir seus sintomas, talvez até mesmo protege-las de tais doenças?